Arquivo de Janeiro, 2012

#37 Ponte da Arrábida

Em dada altura da década de quarenta, constatou-se que a circulação no tabuleiro superior da Ponte D. Luiz I, entre o Porto e V.N. de Gaia, se fazia com muita dificuldade, e reconheceu-se a necessidade de uma travessia alternativa. Em Março de 1952 a J.A.E.(Junta Autónoma das Estradas), adjudicou a elaboração dos anteprojectos a um Engenheiro de Pontes de renome mundial – o Professor Edgar Cardoso. O projecto viria a ser aprovado em 1955. Das inúmeras pontes que Egar Cardoso erigiu por todo o mundo, a da Arrábida, no Porto, foi a obra que consagrou definitivamente a engenharia portuguesa, afirmando-se na época, como o maior arco de betão armado do mundo.

 O arrojo, vanguarda e originalidade desta obra impressionara até técnicos estrangeiros de renome, pelo que vieram repórteres de jornais e televisões estrangeiras para fotografar e filmar a queda do cimbre metálico que iria suportar a estrutura de betão. Este cimbre teve que ser fechado ao centro de uma forma muito particular – içando a partir do rio o conjunto central (78 m, 500 toneladas), por meio de dericks, até o fechar completamente.
O seu vão de 270 m, e 52 m de flecha, arco esse constituído por duas costelas ocas paralelas, de 8 m de largura ligadas entre si por contraventamento longitudinal e transversal, que suporta um tabuleiro com cerca de 27 m de largura. 

Os trabalhos tiveram início em Março de 1957 e a ponte foi inaugurada a 22 de Junho de 1963. A sua construção implicou o uso de 58.700 m3 de betão armado, para além de 2.250 toneladas de aço em varão, e 2.200 toneladas de aço laminado, no cimbre utilizado.
A ponte da Arrábida foi assim a primeira ponte do Douro a ser inteiramente realizada pela engenharia portuguesa.” in paginas.fe.up.pt

 

 

Anúncios

#36 As Pontes da minha Vida em 2011

Os duendes de estatísticas do WordPress.com prepararam um relatório para o ano de 2011 deste blog.

Aqui está um excerto:

Um comboio do metropolitano de Nova Iorque transporta 1.200 pessoas. Este blog foi visitado cerca de 6.100 vezes em 2011. Se fosse um comboio, eram precisas 5 viagens para que toda gente o visitasse.

Clique aqui para ver o relatório completo

Anúncios